Google+ Badge

terça-feira, 15 de julho de 2014

--sexo durante a gestação.

Uma curiosidade que várias grávidas tem, e eu também tive. acompanhe abaixo:


A princípio não há contraindicação, e vocês podem manter relações sexuais sem temor durante a gravidez toda. Mesmo com a penetração, o pênis não tem como
machucar o bebê.

Agora, se você teve algum tipo de
sangramento
 no início da gravidez, é possível que seu médico a aconselhe a não transar com penetração até a 14a semana. Outras complicações médicas, como
placenta prévia
 ou
insufiência do colo uterino
 também podem levar o obstetra a recomendar abstinência.

Nos primeiros meses, é normal que o
cansaço,
a
náusea,
a
dor nos seios,
o estresse e a preocupação de um modo geral impeçam você de sentir o mesmo desejo de antes. Para muitas mulheres, isso tudo muda com o passar da gestação.


No caso dos homens, é comum que tenham medo de machucar a parceira ou o bebê durante o ato sexual. A melhor maneira de resolver esse problema é ele conversar
abertamente com seu médico e tirar as dúvidas. Alguns homens enfrentam também certa dificuldade para se ajustar ao novo corpo da mulher.
Com o crescimento da barriga, talvez você comece a se incomodar com o peso do seu companheiro, se for adepta da posição tradicional papai-e-mamãe. Procure
experimentar
posições sexuais
 que sejam mais prazerosas. No final da gravidez, vocês vão precisar de criatividade para que o sexo não fique muito desconfortável.

Sexo oral está liberado desde que nenhum dos dois seja HIV-positivo e não haja risco de infecção por alguma doença sexualmente transmissível.

Quanto ao sexo anal, ele pode ser feito, mas com cuidados especiais. A tendência a
hemorroidas
 pode significar possíveis sangramentos no ânus. Também é necessário prestar muita atenção à higiene, nunca passando direto do sexo anal para o sexo vaginal,
para que bactérias presentes no ânus não infectem a região da vagina.

O obstetra poderá pedir que vocês evitem o sexo no último trimestre caso você tenha histórico de
trabalho de parto prematuro.
Isso porque o sexo libera oxitocina na corrente sanguínea, o hormônio que ajuda o colo do útero a se preparar para o trabalho de parto, e também pode provocar
contrações.

Algumas pessoas deixam de manter relações sexuais durante toda a gravidez. Embora tal atitude seja perfeitamente normal, se acontecer com você e seu parceiro,
conversem bastante para que a questão não se torne um fantasma entre vocês.
Estamos "grávidos". Isso afeta minha vida sexual?
Alguns homens consideram o sexo durante a gravidez extremamente excitante; outros, no entanto, nem querem ouvir falar do assunto. Ambos os casos são perfeitamente
normais e dependem de uma série de fatores. Uma coisa é certa: a vida sexual muda na gestação.

O sexo pode machucar o bebê?
Talvez o motivo mais comum para homens (e mulheres) diminuírem a frequência sexual é o medo de machucar o bebê. Se você estiver preocupado com isso, esqueça.
Seu filho está bem protegido pelo líquido amniótico, e, a menos que o ato sexual seja extremamente bruto, quase não há chances de machucar a mãe ou o bebê.
E se minha parceira e eu tivermos formas diferentes de encarar o sexo nesta fase?
Mudanças da libido durante uma gestação são comuns tanto para homens como para mulheres. É possível que no primeiro trimestre da gravidez você sinta mais
desejo do que nunca. Para muitos homens, o fato de engravidar uma mulher representa uma espécie de confirmação de sua própria masculinidade. Além disso,
alguns futuros papais sentem uma conexão especial com suas parceiras, e essa proximidade é, em muitos casos, manifestada através do sexo.

Para outros homens, no entanto, o primeiro trimestre (e talvez a gravidez inteira) é um momento de menor desejo sexual, com o corpo da mulher menos divertido
e atraente. Há também a constatação de que, quando a gestação terminar, a parceira terá se tornado mãe, algo que encaram como não necessariamente sexy.


À medida que os meses passam, as diferenças de apetite sexual entre os parceiros podem continuar. A maioria dos homens tende a gostar das novas curvas
da mulher, mas muitos também consideram a barriga em crescimento e os seios vazando nada tentadores.

Uma coisa importante de se ter em mente é que o conforto da mulher tende a estabelecer o ritmo sexual do casal nesta fase. Sua parceira poderá se sentir
mais livre e disposta para o sexo agora que não precisa se preocupar com métodos anticoncepcionais. A idéia de ter criado uma vida junto com você também
pode ser estimulante para ela.

Por outro lado, grande parte do primeiro trimestre da gestação poderá ser marcado por
náusea e enjôos.
Às vezes há ainda a preocupação em machucar o bebê ou simplesmente o temor por parte dela de estar gorda demais.

O que fazer para manter uma vida sexual saudável?
A resposta é simples: mantenha um bom canal de comunicação, que permita a cada um de vocês expressar seus desejos e temores. Também uma oportunidade de
expandir os horizontes sexuais, principalmente no final da gravidez, quando certas posições, como o "papai-e-mamãe", podem ser desconfortáveis ou até impossíveis.

Tente variar de posição,
experimentando, por exemplo, deixar a mulher por cima, ficar lado a lado ou fazer a penetração vaginal por trás.

Agora, caso o sexo com penetração não esteja sendo prazeroso, transporte-se para aquelas épocas do começo de sua vida sexual, quando se fazia de tudo menos
chegar aos "finalmentes". Não era gostoso? Então, lembre-se de que masturbação, sexo oral e vibradores podem ser tão estimulantes quanto sexo com penetração.

Extraído de:
www.babycenter.com.br.


Nenhum comentário: