Google+ Badge

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

26 semanas de gravidez. mamãe chorona.--














Ois meus amores! Bom, eu estou aqui hoje, completando 26 semanas de gestação. Meu filho tem 182 dias de vida.
Yahoo, parece que o nascimento dele está se aproximando! #e eu fico anciosa pra caramba aqui.
Vou colar aqui as informações do babycenter, e logo logo eu escrevo + um pouquinho sobre nós.

Como seu bebê está crescendo
Nesta etapa da gravidez, se pudesse ser medido, o bebê teria algo em torno de 36 centímetros. Os olhos estão começando a abrir. Ele responderá melhor a sons mais no finalzinho do sétimo mês, quando a rede de nervos que se estende até o ouvido estiver completa.

A partir de agora até a hora do nascimento, o peso do seu filho triplicará, já que nas próximas semanas ele vai acumular gordura bem mais rapidamente. O bebê precisa de gordura para poder se ajustar à temperatura mais fria que o lugar tão quentinho em que está neste momento.

Além disso, a gordura será fonte de energia e calorias nos primeiros dias de vida. É comum que recém-nascidos, especialmente os que mamam no peito, percam peso na primeira semana depois de nascer.
Como fica sua vida
Você está se aproximando da reta final -- o terceiro trimestre. Antes que possa imaginar, vai estar segurando seu bebê no colo.

Nesse período, algumas mulheres têm um leve aumento da pressão arterial, o que é normal. Mas, se seu peso subir muito, sua visão ficar embaçada e seus pés e mãos incharem de repente, pode ser que você esteja com pré-eclâmpsia.

Ligue para seu médico imediatamente ou procure um pronto-socorro se perceber qualquer um desses sintomas.

Veja outros sintomas que nunca devem ser ignorados.


- Confira seu calendário do bem-estar para esta semana
Relaxe
O cansaço do primeiro trimestre pode estar voltando, então é melhor pegar leve.

Sempre que se sentir meio para baixo, paparique-se: você tem todo o direito. Um filme, uma revista, dormir até mais tarde, uma boa massagem especial para grávidas (ou mesmo improvisada pelo seu parceiro) ou uma manicure -- coisas pequenas fazem milagres pelo seu bom humor.

Uma boa caminhada ao ar livre, em um lugar de natureza bonita ou coisas interessantes para olhar, também é um ótimo jeito de se sentir revigorada. Tenha cuidado apenas com o sol porque ele pode provocar ou piorar manchas no rosto.

Bom, nessa semana eu ando chorando muito. Essa história de repouso absoluto tem acabado comigo. Eu queria sair, queria passear, queria ezibir minha barriga por aí, não suporto + ficar em casa sem colocar o rosto pra fora, e a única compania que eu tenho, é a da  SUZY.
Todos tem suas vidas ativas, ttem inúmeros compromissos  a serem cumpridos, e eu fico apreciando tudo do lado de dentro da minha casa....... E parece que o tempo não passa, e isso me deixa cansada e intediada. E também eu tenho medo que esse repouso não seja suficiente, e faça meu filho nascer antes do tempo, assim como eu nasci, e olha só a seqüela que isso me deixou, ser cega. E eu não quero que ele fique assim! Isso pode parecer besteira, + eu me sinto sim fragilisada com essa situação. Mas hoje eu estou bem melhor, parei de chorar, e também não sinto dor. E espero que Deus me dê força pra suportar ficar parada até Fevereiro. Se é disso que ele precisa, é isso que eu vou fazer. Por um filho a gente faz tudo.
Bom, enserro o post de hoje dessa forma, e logo logo eu estou aqui pra contar + algumas coisinhas. Beijos!

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

--5º Ultrasson, e as contrações continuam.--

Olá a todos! depois de quase uma semana sem postar, venho informar que meu JL está ótimo, pesando 704 gramas, medindo 28 centímetros, chutando muito, e seu coraçãozinho pulsa a 136 batidas por minuto.
Isso tudo me deixa muito feliz e radiante. Adorei ver meu caramelinho de novo.
Fiz esse exame na última quinta-feira dia 23.
Mas eu ainda ando tendo contrações de treinamento, e elas tem doído muito. Ontem eu tive que ir mais uma vez pra maternidade, e depois de verificarem se eu estava tendo ou não dilatação, (a médica fez a minha dor aumentar ++++ e + de tanta pressão que ela fez na minha barriga), me mandaram tomar soro, e eu fiquei la cerca de 20 minutos, recebendo buscopan na veia. Ela disse que o colo do meu útero está muito curto, e que minha bolsa pode romper a qualquer momento. Eu fiquei muito nervosa, e olha que eu estou de repouso, + mesmo assim não está adiantando muito.
Hoje eu também estou com dor, + é bem < que a de ontem. Passei o domingo inteiro virando pra la e pra ca, de tanto que doeu. Eu jurava que ele não ia aguentar esperar, ia acabar nascendo. Mas graças a deus isso não aconteceu.
Eu vou colar aqui informações do babycenter sobre contrações de treinamento, e logo logo eu volto com + notícias. P.s: torsam por nós! Beijinhos!!

O que são as tais contrações falsas, de treinamento ou de Braxton-Hicks?
Lá pela metade de sua gravidez, às vezes até antes, você pode notar que os músculos do seu útero deixam sua barriga dura, o que dura de 30 a 60 segundos. Nem todas as mulheres sentem essas contrações, que surgem aleatoriamente e costumam ser indolores.

Elas recebem o nome de contrações de treinamento, contrações "falsas" ou contrações de Braxton-Hicks, em homenagem ao médico inglês John Braxton Hicks, que as descreveu pela primeira vez em 1872.

Os especialistas acreditam que elas sejam uma espécie de treino do corpo para o trabalho de parto. Alguns acham que elas colaboram para o processo de "apagamento" do colo do útero (que vai ficando mais fino) e para a dilatação.

As contrações de treinamento costumam ser sentidas a partir de 16 semanas, ou bem mais tarde. Mas também é normal não sentir essas contrações nenhuma vez.
Como vou saber se são as contrações de treinamento ou as de verdade?
A maioria das grávidas de primeira viagem faz essa pergunta, e a resposta mais adequada, a que recebem dos médicos e de quem já passou por isso, chega a dar raiva: "Você vai saber quando for trabalho de parto de verdade". Mas eles estão certos. Veja as diferenças:

Contrações de treinamento
Acontecem só algumas vezes por dia, e não mais que duas vezes por hora
Normalmente param quando você muda de atividade. Se você passou muito tempo sentada, levante-se e caminhe. Se ficou muito tempo de pé, sente-se ou deite-se
São irregulares, não pegam ritmo. Ou, se pegam, é só por um período curto
Não são muito compridas: duram menos de um minuto
Não vão aumentando de intensidade
Podem atingir só uma parte da barriga
Podem ser deflagradas pelos movimentos ou pela posição do bebê

Contrações do trabalho de parto (contrações verdadeiras)
Mais compridas: a barriga fica dura por mais tempo
Mais regulares
Mais doloridas
Não param de vir. Cada uma que vem é mais forte que a outra, e o intervalo entre elas vai ficando cada vez menos
Não melhoram se você mudar de atividade
Atingem a barriga inteira e às vezes as costas
Não dependem da posição ou da movimentação do bebê

O ritmo é o mais importante, preste atenção nele. Sempre que perceber que está tendo várias contrações, marque o horário, para acompanhar o intervalo entre elas.
E se as contrações de Braxton Hicks começarem a doer?
À medida que sua gravidez avança, esse tipo de contração pode ficar mais intensa, e é possível que doa. Quando elas começarem a ficar mais fortes e frequentes, você pode até achar que o trabalho de parto começou para valer, mas o tempo passa e elas continuam irregulares em termos de intensidade, frequência e duração -- e podem até desaparecer completamente, levando você à loucura. São os chamados alarmes falsos. Se você sentir que suas contrações estão diminuindo ou se espaçando, provavelmente elas não passaram de contrações de Braxton-Hicks (ou falso trabalho de parto). Uma sugestão é usar as contrações de treinamento para praticar técnicas de respiração que vão ajudá-la no parto vaginal.
O que eu devo fazer para aliviar o desconforto das contrações falsas?
Muitas mulheres acabam notando que as contrações vêm com mais frequência quando elas fazem alguma atividade física, mesmo que seja tirar as compras do carro. Outras percebem que a bexiga cheia demais deflagra contrações de treinamento. Se as contrações estiverem incomodando você, faça o seguinte:
Vá ao banheiro fazer xixi
Mude de atividade. Se estava em pé, deite-se um pouco. Se ficou muito tempo sentada, levante-se e dê uma caminhada
Tome um copo d'água
Se ainda assim não melhorar, você pode tomar um banho morno
Quando devo me preocupar com as contrações?
Procure atendimento médico se:

Para quem está com menos de 37 semanas
Se a contração for acompanhada de secreção vaginal parecida com água ou sangue. Podem ser sintomas de rompimento da bolsa ou de problemas com a placenta.
Se sentir mais de três ou quatro contrações em uma hora, ou se elas estiverem vindo em intervalos regulares. Pode ser sinal de trabalho de parto prematuro.

Para quem está com 37 semanas ou mais
Você só precisa procurar o médico quando suas contrações durarem cerca de 60 segundos cada uma e acontecerem a um intervalo de cinco em cinco minutos, tirando as mulheres com histórico de parto rápido ou que morem muito longe do hospital. Nesses casos, é melhor procurar orientação se as contrações estiverem regulares, independentemente do intervalo.

terça-feira, 21 de outubro de 2014

--Deus é maravilhoso.-- Mamãe e bebê felizes.

Ois pessoal!!!!! nossa, hoje foi um dia extremamente importante pra mim.  Um dia que não esquecerei jamais. Um dia que marcou meu mês de Outubro. Um dia que trouxe paz ao meu coração.
Mas antes de dizer o que ocorreu, queria iniciar este post dizendo que sábado eu passei super mal. Minha barriga acabou endurecendo, e eu sentia muita dor. (chamam isso de contrações de treinamento.)
Tive que seguir então rumo a maternidade, quando ja passavam de 22:00. Estava morrendo de medo do João Lucas acabar nascendo antes da hora. E aí, que faríamos?
Demoraram um pouco pra me atender, mediram a minha pressão que estava 13 por 7, sendo que o normal dela é 10 por 6, e depois foram ouvir o coraçãozinho dele, que pulsava a todo vapor. tumtum, tum tum....
 Por fim o médico plantonista, foi fazer exame de toque pra ver se o colo do meu  útero ainda estava fechado, e graças a Deus estava. Ele me receitou o mesmo remédio que eu ja estou tomando, (o buscopan, e me disse pra ficar de repouso.)
Disse que essas dores podem seguir até o fim da gestação, e que eu não precisaria me preocupar pois se seguice todas as recomendações, ele não nasceria antes do tempo.
No domingo eu estava disposta, e fiz bastante comida por aqui. saiu até um muce de maracujá que eu não comia a céculos. Se vocês querem saber, fiquei só com o cheiro. A galera presente comeu tudo, e não sobrou nada pra mamãe aqui. Mas não tem portância.
Ontem eu não fiz nada de importante, e sentia poucas dores. Hoje foi dia de mais uma consulta com a minha obstetra, e eu levei pra ela o exame de sangue que eu fiz na semana anterior, que foi pedido pela Mirian Alira, e ela me disse algo que eu fiquei radiante:
Eu não tenho diabete gestacional. Ela disse que eu estou super bem, e a balansa também anda coperando comigo, pois eu tenho conseguido me manter na faixa, e engordo somente 1 kilo por mês. (nem me perguntem como é isso.)
Sei-la. Eu como muita salada, mas não faço mais nada além. E eu não vejo a cara de uma barra de chocolate a uns 3 meses.
Agora não posso. Tive que parar um pouco.
E nós também fomos conversar sobre meu parto, e eu já estava em pânico por ter que arrumar não sei onde 2000 reais pra pagar a minha cesariana.
+ Ela disse que não vai cobrar nada.
Que fica tudo incluso pela unimed.
Ufa, que alívio. Isso já estava tirando meu sono. Senão tivesse como pagar, eu ia ter que cair na mão de qualquer plantonista que estivesse presente no dia, e torser pra que desse tudo certo. Talvez ele até tentaria fazer com que eu tivesse um parto normal, mas e se eu não tivesse dilatação suficiente? Sabe Deus quantas horas eu ficaria lá em trabalho de parto, aff eu nem gosto de pensar nessas coisas.
Isso foi uma verdadeira bénção de Deus, pq eu ainda estou afastada pelo INSS, e não ia conseguir pagar essa cesariana nunca. Não da. E ela também me examinou mais um pouco, ouvimos o coraçãozinho do JL, que continua a todo vapor, e ela confirmou o que o plantonista da maternidade me disse. Que se eu tomar o buscopan e ficar de repouso, o JL espera até Fevereiro que é o mês em que ele já poderá vir ao mundo.
P.s:
Minha Suzynha foi castrada hoje. Ela passa muito mal quando entra no sio, e não tivemos outra opção. Apesar de ainda estar molinha por causa da  anestesia, ela está bem graças a Deus. #não vejo a hora de ver ela pulando e correndo pela casa.
Será adcionado abaixo, um texto que eu li e achei mega interessante.
Bom, esse post está longo demais. Enserro por hoje minhas atualisações, e em breve retornaremos! Beijos!


Andressa Basilio

Editora Globo
É perto dos oito meses que seu bebê vai falar as primeiras palavras, mas você sabia que mesmo antes de o bebê nascer, ele já começa a aprender noções de linguagem? De acordo com o neuropediatra Mauro Muszkat, da Universidade Federal de São Paulo, por volta da 26ª semana de gravidez da gestante, o feto já está com o sistema neurológico e de audição totalmente formado e pronto para atender aos estímulos do mundo de cá. Aqui, você confere cinco bons motivos para bater um papo bem gostoso com bebê ainda dentro da barriga.

1) Primeiro contato com a linguagem
Muitos estudos já foram feitos para descobrir o momento em que começam as primeiras experiências de linguagem e aprendizado de uma criança. O mais recente deles, feito pelo Instituto Nacional de Saúde e pelo Hospital da Criança de Estocolmo, com 40 recém-nascidos americanos e 40 suíços, todos com menos de 30 horas de vida, mostrou que os bebês prestam mais atenção à língua nativa.

Para chegar a esse resultado, os bebês receberam mamadeiras que monitoravam a intensidade do movimento de suas bocas e mandavam a mensagem a um computador. Enquanto os bebês sugavam as mamadeiras, as mães pronunciavam algumas vogais.

Os pesquisadores perceberam que quando as vogais eram pronunciadas na linguagem nativa do bebê, os batimentos cardíacos se aceleravam e ele parava de sugar o leite, como se estivesse prestando atenção. Já quando o som lhe era desconhecido, ou seja, as vogais de uma língua estrangeira, ele parecia não ouvir e continuava a mamar tranquilamente.

2) Ambiente seguro
Outro estudo, realizado pela Universidade de Brasília, testou a capacidade do recém-nascido de reconhecer a voz da mãe. Usando aparelhos de medição de respiração e frequência cardíaca, especialistas conseguiram observar as reações dos bebês ao ouvir música em três momentos: uma canção de ritmo acelerado cantada por uma voz masculina, uma de rimo lento cantada por outra voz masculina e a mesma música lenta, só que cantada pela mãe da criança.

“Quando era a mãe que cantava a canção, a frequência cardíaca e a movimentação do bebê ficavam mais tranquilas, a atenção era maior também”, notou a terapeuta ocupacional Mônica Lemos, uma das líderes da pesquisa,. “Quanto mais precoce for esse contato da mãe com o bebê, mais seguro ele vai se desenvolver. E uma criança segura aprende mais fácil, se relaciona melhor, é mais aberta”, completa a pesquisadora.
Editora Globo


3ª) Estreitamento de vínculo
Quando nós ouvimos a voz de alguém ou uma música, guardamos aquele som na memória e conseguimos identificar o autor, cantar trechos da música e até resgatar situações associadas ao que estávamos fazendo enquanto ouvíamos aquele som. Com os bebês, porém, o processo funciona um pouco diferente.

“Tudo o que o bebê escuta é organizado em áreas mais emocionais do cérebro, ou seja, ele não tem uma memória consciente, mas resgata os sons por meio de sentimentos e sensações”, explica o neuropediatra Mauro Muszkat, da Universidade Federal de São Paulo.

Isso significa que tudo o que a criança sentir está intimamente relacionado aos sentimentos da mãe. Com a música é a mesma coisa. Quando a mãe escuta ou canta uma música que ela gosta, isso desperta no feto uma reação de bem-estar e vice-versa. “Quem seleciona o que a criança gosta ou não é o próprio sistema afetivo emocional da mãe. Aquilo que a ajuda a relaxar, aquilo que traz alegria ou aquilo que a deixa irritada vai ser transmitido para a criança através dos sentimentos”, finaliza o neuropediatra.
4) Ajuda na adaptação do novo mundo
O útero é um lugar escuro e quentinho, onde o bebê se sente calmo, seguro e protegido. Quando ele nasce, tudo muda. “Com o parto, a criança passa por um período de adaptação ao toque, aos sons e às luzes. É muita coisa de uma vez só”, explica o professor de neurologia da Universidade de Brasília e membro da Sociedade Brasileira de Pediatria, Carlos Nogueira Aucelio. Já sabendo disso, se a mãe começar a conversar bastante com a criança e, mais do que isso, aprender a colocar sempre algum tipo de música para o bebê, isso ajudará nessa adaptação. “O som que o recém-nascido ouvia na barriga gera uma lembrança da época em que ele estava seguro no útero”, afirma o professor.

5) Auxilia no aprendizado cognitivo

A música mexe com aspectos emocionais. Isso significa que quanto mais cedo os pais apresentaram para a criança essa combinação de sons como uma forma positiva, relaxante e feliz, maior é a tendência de a criança usar a linguagem musical como forma de aprendizado e desenvolvimento cognitivo.

O pai também pode

Conversar com a barriga pode ser algo estranho e até embaraçoso no começo, especialmente para os pais. Porém, mais importante do que superar a barreira da vergonha é o pai explicar para a criança que, assim como a mãe, ele também faz parte da vida dela. “Uma coisa que a gente fala para os pais é que a mãe está ali o tempo todo, o bebê já nasce ouvindo a voz e sentindo o cheio dela. Do pai não. Ele precisa fazer a criança ouvir sua voz, tocar a barriga da mãe para a criança sentir o toque, é importante que o pai entre em contato com o bebê. Apesar de o feto não entender o significado das palavras, ele consegue perceber o carinho”, ensina Mônica Lemos. Por isso, a dica é deixar qualquer inibição de lado e conversar com a barriga, sim. Vale tudo, contar como foi o dia, fazer brincadeiras com o bebê, colocar uma música que você gosta de ouvir. O importante é vocês, pais e mães, constituírem uma relação verbal com a criança desde muito cedo e avisá-la de que quando ela chegar vai encontrar muito amor e carinho por aqui.
Editora Globo
É essencial que o pai converse com o bebê e mostre que também é importante na vida da criança

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

--24 semanas de gravidez.-- ***fotos da barriga de 24 semanas.**












Ois pessoal! a mamãe calorosa chegou pra falar que por aqui está tudo dentro dos conformes. bom, eu fiz exame de sangue ontem, + eu ainda não sei o resultado. (mas ja estou cuidando da minha alimentação, me intupindo de saladas e frutas principalmente no horário da manhã.)
eu estou morrendo de vontade de comer doces, e não sei que fazer. aqui está um calor insuportável, e eu estou toda enxada.
Estão aí fotos que eu tirei hoje da minha barriga. vocês acham que está muito grande? (eu acho e adoro.)
 vou colar as informações do babycenter logo abaixo.
Beijinhos!
Desde a semana passada, o bebê engordou cerca de 90 gramas. A pele dele é fina e frágil, mas o corpo está tomando forma e ocupando cada vez mais espaço dentro do seu útero.

Nesta fase, o bebê pode até estar desenvolvendo um fraco por doces. As papilas gustativas estão se formando e esse gosto pelo doce faz parte do processo.

Outro grande marco desta etapa é a possibilidade de o bebê agora sobreviver, com muitos cuidados especiais, num hospital bem-equipado, no caso de um parto prematuro. Ele se torna, então, um bebê "viável".
 Como fica sua vida
Estrias avermelhadas podem aparecer na sua barriga, coxas, bumbum e seios. Muitas mulheres também reclamam de coceira na pele. Cremes podem até aliviar essa coceira, mas, infelizmente, não fazem as estrias desaparecerem nem conseguem impedi-las.

Estrias são típicas desse estágio da gravidez e costumam ficar mais discretas e com um tom mais próximo da própria pele depois do parto. E sempre há a chance de você ser uma das sortudas que passam incólumes pela gravidez, sem estrias. Sua mãe tem? A hereditariedade infelizmente é um dos fatores determinantes para o surgimento de estrias.

Os olhos tendem também a ser mais sensíveis à luz e a ficar mais secos, um sintoma perfeitamente normal da gestação -- embora menos conhecido. Para melhorar o desconforto, pingue uma solução de lágrimas artificiais que pode ser encontrada nas farmácias.

- Confira seu calendário do bem-estar para esta semana
Diabete gestacional
A diabete gestacional acontece quando os hormônios da gravidez impedem que a insulina funcione normalmente no corpo. A insulina é uma substância produzida pelo pâncreas que permite que as células se alimentem de glicose (todo alimento que comemos se converte em glicose depois da digestão).

Quando há um desequilíbrio de insulina, a glicose (ou açúcar) não consegue entrar dentro das células, fica no sangue, atravessa a placenta e acaba chegando ao bebê.

Ter esse excesso de açúcar no sangue é como se você alimentasse seu filho todos os dias com doces e guloseimas, fazendo que ele engorde mais que o normal.

Geralmente os médicos tentam controlar a diabete gestacional através da alimentação, já que é comum que, depois do parto, os níveis de açúcar no sangue voltem ao normal. Mas como quem tem diabete gestacional fica com maior tendência de desenvolver diabete no futuro, é importante manter a alimentação equilibrada mesmo após o nascimento do bebê.

terça-feira, 14 de outubro de 2014

--Mirian Alira, suspeita de diabete gestacional.**

Ois a todos(as). Assim conforme havia dito ontem, eu fui me consultar com a obestetra Mirian Alira, e ela disse que o colo do meu útero já se normalisou, (não está mais baixo por causa das medicações  que eu comecei a tomar na semana passada, e ela disse que  quando eu fiz cultura da urina, (pra detectar a infecção que eu tive), ela apresentava glicose, que significa que o açúcar do meu corpo está auterado, e pode ser que eu esteja com diabete gestacional. e olha que eu nem comi tanto doce assim durante esses quase 6 meses. acabei de pesquisar no babycenter pra saber como é que eu faço pra me livrar disso, pra que o joão lucas não tenha pproblemas posteriores por causa dessa questão. agora o jeito é entrar de dieta, e não comer quase nada. quem sabe resolva? e o calor aqui continua violento. nada de chuva, e isso está me cansando a rodo. eu ainda não decidi se vou mudar de médica. vou pensar, e depois eu digo como é que farei pra levar o fim da minha gestação. (quando eu fiz esse exame de urina, a obstetra que me acompanhou desde então não disse que eu tinha açúcar na urina, eu não soube de nada!) é complicado. + vamos aguardar os resultados. P.s:
eu tomei duas vacinas hoje. A de gripe, e de epatite B.
Por enquanto é só galera. Em breve eu volto pra contar + coisas. (as informações do babycenter estão adcionadas abaixo.) Beijinhos.

O que é a diabete gestacional?
Como a diabete afeta a gravidez?
Quem corre mais risco de ter diabete gestacional?
Como vou saber se tenho diabete gestacional?
Como se trata a diabete gestacional?
Ouvi dizer que fazer exercícios é bom para a diabete gestacional. É verdade?
Vou continuar tendo diabete depois que o bebê nascer?
E quem já era diabética antes de engravidar?
O que é a diabete gestacional?
A diabete gestacional é um problema que surge durante a gravidez. A mulher fica com uma quantidade maior que o normal de açúcar no sangue. É uma condição que quase sempre se normaliza sozinha depois que o bebê nasce -- ao contrário de outros tipos de diabete, que duram a vida inteira.

A diabete aparece quando o corpo não consegue fabricar a insulina -- um hormônio produzido pelo pâncreas -- em quantidade suficiente. A insulina controla a quantidade de açúcar disponível no sangue, para ser usado como fonte de energia, e permite que o excesso de açúcar seja armazenado.

Seu corpo precisa produzir insulina extra para atender às necessidades do bebê -- principalmente da metade da gravidez em diante. Se seu corpo não conseguir fazer isso, você pode ficar com diabete gestacional. Seu nível de açúcar no sangue também pode subir devido às mudanças hormonais da gravidez, que interferem na ação da insulina.

Nas primeiras consultas do pré-natal, você será submetida a um exame de sangue, e nele será feita a medição da glicemia de jejum. Se o médico considerar o resultado alterado, pode pedir um novo exame, o teste de tolerância à glicose -- em que você tem de tomar um líquido doce e uma hora depois colher sangue para dosar a glicemia. No caso de o primeiro resultado ser normal, mas o obstetra considerar que seu risco de ter diabete gestacional é mais elevado, ele pode pedir um novo exame de glicemia de jejum na segunda metade da gravidez.
Como a diabete afeta a gravidez?
O lado positivo do tratamento da diabete é que você tem como influenciá-lo para o bem. Com orientação médica, você conseguirá controlar a diabete durante toda a gestação.

O principal problema do excesso de açúcar no sangue é que ele atravessa a placenta e chega ao bebê, o que pode fazer com que ele cresça demais. Um bebê muito grande pode dificultar o parto, e aumenta a probabilidade de você precisar de uma cesariana. O bebê também fica mais propenso a ter icterícia e hipoglicemia após o parto, e a apresentar problemas respiratórios. O volume de líquido amniótico também pode aumentar demais.

Há pesquisadores que acreditam que bebês grandes demais têm maior probabilidade de sofrer de obesidade mais tarde. Quando adultos, também têm mais propensão à própria diabete.

Quando a mulher já era diabética antes da gravidez, há um risco maior de o bebê apresentar problemas de saúde -- especialmente se a diabete pré-gestacional não estava sendo controlada. Pode acontecer de a mulher só descobrir que é diabética nos exames do pré-natal. Esse é um dos motivos para a recomendação de as mulheres se submeterem a novo exame de glicemia de jejum cerca de um mês e meio depois do parto.
Quem corre mais risco de ter diabete gestacional?
Mulheres que já tiveram diabete gestacional antes, ou que já tiveram bebês considerados grandes, correm um risco maior de ter diabete gestacional. Também elevam o risco:
Obesidade (IMC acima de 30) - Calcule aqui o seu.
A idade: a tendência para a diabete aumenta naturalmente com a idade; quanto mais nova a mulher, menor a chance de ter diabete gestacional
A existência de um parente de primeiro grau diabético, dependente de insulina
Como vou saber se tenho diabete gestacional?
Você dificilmente saberá, a não ser que o problema seja detectado pelos exames do pré-natal. Por isso os exames são tão vitais. Algumas mulheres sentem sede anormal ou cansaço extremo, sintomas clássicos da diabete.
Como se trata a diabete gestacional?
Seu obstetra ou um endocrinologista vão orientá-la sobre como controlar a taxa de açúcar no sangue, reduzindo o consumo de alimentos doces e bebidas com cafeína. Você receberá conselhos sobre como se alimentar -- o melhor é fazer refeições pequenas e frequentes, em vez de comer muito de uma vez só.

Para algumas mulheres, se a diabete gestacional for considerada grave e não responder apenas ao controle pela alimentação e pelas atividades físicas, os médicos podem prescrever injeções de insulina. Você poderá aplicar a injeção sozinha -- a agulha é bem pequena. De qualquer maneira, precisando ou não de insulina, você terá um acompanhamento mais frequente da gestação, com a realização de mais ultra-sons para verificar o crescimento do bebê e o volume de líquido amniótico.
Ouvi dizer que fazer exercícios é bom para a diabete gestacional. É verdade?
Sim. É importante fazer atividade física, e seu médico deve conversar com você sobre como incluir exercícios no seu dia-a-dia. Consulte nosso guia de atividade física na gravidez para obter idéias de exercícios que a agradem. As pesquisas mostram que a atividade física ajuda a manter os níveis de açúcar no sangue sob controle, e há também indicações concretas de que a prática regular de exercício antes da gravidez ajuda a prevenir a diabete gestacional.
Vou continuar tendo diabete depois que o bebê nascer?
Você deve ser submetida a um novo exame de glicemia de jejum (ou teste de tolerância à glicose, dependendo do caso) a partir de um mês e meio após o parto, e é muito provável que sua taxa de açúcar no sangue tenha voltado ao normal. Apesar disso, mulheres que tiveram diabete gestacional são mais propensas a ter diabete mais tarde, por isso o exame de glicemia de jejum deverá fazer parte da sua rotina anual de exames. Mulheres que já eram obesas antes da gravidez têm mais risco de continuar diabéticas depois do parto.
E quem já era diabética antes de engravidar?
A gravidez terá que ser acompanhada de perto no caso de diabete preexistente. Se os níveis glicêmicos estiverem controlados, porém, diminuem as chances de haver problemas com o bebê. 

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

--Carinhos e satisfação da mamãe.--



olá a todos(as!) espero que estejam bem! graças a deus nós estamos melhorando a cada dia. os medicamentos que eu comecei a tomar na semana anterior, tem me ajudado, e a minha barriga tem endurecido menos. Omten, passei o dia das crianças fora de casa, já que eu não ia poder sair pra comprar um brinquedinho pro meu príncipe. Ele está a cada dia mais ativo, mais feliz, e os movimentos dele, são muito precisos e bem fortes. Agora todos já podem sentí-lo, e eu adoro isso. Adoro que todos sintam meu bebê, pois é ótimo dividir esse momento com aqueles(as) que me cercam. No sábado eu me dei ao luxo de comer algumas guloseimas, (são os famosos desejos de grávida),  e eu adorei. Eu ando fazendo muito carinho na minha barriga, e o João Lucas adora. Principalmente quando eu passo a ponta dos dedos, e digo pra ele que estou fazendo cócegas. Nossa, ele mexe muito! E eu sinto que os movimentos dele, também são uma forma dele expressar o que sente, através do toque que eu lhe dedico. Isso é maravilhoso, e desde quando eu soube que estava grávida, sempre colocava a mão na barriga pra conversar com ele. Mas agora eu faço muito mais carinho do que de costume. às vezes eu estou lendo, e aproveito pra ficar acariciando ele, que pode até estar dormindo. Mas imediatamente me responde. Isso pra mim é emocionante. É um momento único, um momento só nosso.
Amanhã eu vou pra uma nova obstetra, pois na sexta-feira quando eu tive uma consulta de retorno com a minha, senti que ela não deu muita importância ao fato do meu filho estar querendo nascer antes do tempo.
E tudo ela me manda ir pra maternidade, ela não deixa n° de celular pra contato, emfim! Não tô curtindo isso. Mas depois eu digo sobre a médica, e se eu vou ficar com ela ou não. O calor dessa cidade está insuportável, e eu estou me sentindo muito cansada. Mas também me sinto a mamãe mais feliz do mundo com esse baby maravilhoso, inteligente, especial, carinhoso e maravilhoso que Deus me deu! SENHOR, MUITO OBRIGADA!
Beijinhos meus leitores(as).

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

SOS João Lucas. (postagen com foto da minha barriguinha de 23 semanas.)








Olá a todos(as). Hoje venho aqui pra relatar o que ocorreu com relação a minha barriga. Eu fui ao médico, e ela me receitou  buscopan que eu já estava tomando desde ontem, e também um outro remédio, chamado de entrogestan.
Ela disse que isso vai relachar a musculatura do meu útero, que está querendo se contrair, pois o João Lucas está de ponta cabeça, forçando pra nascer. Por isso a minha barriga endurece, e eu sinto tanta dor.
Ele não pode nascer com 23 semanas e 1 dia, eu fiquei muito nervosa ao saber de tudo isso. Na consulta também ouvimos os batimentos dele, e ele continua mexendo muito graças a Deus.
Ela me recomendou também repouso absoluto. Não posso fazer + nada. Nem cozinhar. Nada.
(Pelo meu filho eu faço tudo.)
Então eu digo a vocês que se eu sumir por alguns dias, será devido ao repouso. P.s:
Nem vou poder ir ao shoping domingo comprar o brinquedinho dele!
Talvez eu faça isso via internet, ou aguarde até tudo se normalisar.
Bom pessoal, por hora é só. Beijos!

**Hoje**.
Bom, eu senti menos dores graças a deus, e aus medicamentos, e estou fazendo meu repouso. adcionei fotos da minha barriga pra que vocês vejam o quanto ela ja cresceu, embora eu saiba que as fotos não estão lá 100% pq foi eu que tirei! e cega tirando foto de si mesma é ilário, hein? (p.s: tirando a foto que está com a minha barriga escrita, que foi tirada pela minha irmã.)  Bju.

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Novidades sobre o João Lucas, falando sobre o dia das crianças!--

Olá pessoal! A mamãe aqui deu uma breve sumidinha, mas está tudo correndo as mil maravilhas por aqui. O meu PRÍNCIPE está cada dia mais ativo, e se mexe muito. essa semana ele se apresentou pra família toda chutando muito. (eles ainda não tinham visto.) Graças a Deus, o quarto dele está pronto. Já tem tudo, e eu só tenho que agradesser a todos que me ajudaram nessa. Isso realmente me deixou bem emocionada, e anciosa pra tão esperada hora.
Vamos confessar vai que eu estou morrendo de medo de não dar tempo de fazer a cesariana, (caso ele resolva se adiantar) + é bom nem pensar muito. Ainda me restam 18 semanas de gestação, tenho 118 dias pra aguardar a chegada dele. E enquanto a hora não da as caras por aqui, eu vou curtindo essa barriga maravilhosa, que a cada semana cresce + e +. Não preciso dizer que eu estou apaixonadícima pelo meu filho, né?
Nesse domingo dia 12, eu and marido vamos ao shoping.
Por n motivos diferentes. Um deles é que eu quero passear um pouco de barriga por aí. E outro, é que eu quero comprar um brinquedo pro meu bebê.
Quando eu era criança, gostava da data 12/10, porque era feriado, e não tínhamos aula. Mas nunca ganhei lá muitos presentes nessa época. Acredito que o > e melhor presente que uma mãe deve dar a seu filho, é seu amor, seu carinho, sua dedicação, e sua compreenção. Isso eu pretendo dar pro JL sempre, independente da data, da hora e do lugar.
Frequentimente me pego fazendo carinho na minha barriga, e dizendo coisinhas fofinhas pra ele, que já ganhou até um apelido por aqui, que eu não sei como surgiu. Sei que me veio o nome na cabeça, e por enquanto, eu estou usando. *CARAMELINHO.*
Eu morro de rir com essas coisas. Tive tempo até pra pensar nisso.
Ele realmente me completa. Depois que eu descobri que estava grávida, minha vida mudou muito, e sinseramente se tivesse que passar por tudo isso de novo, eu passaria.
Vale muito a pena.
Serão momentos que ficarão gravados na minha memória, e que não voltarão +. Pois se eu engravidar de novo, tenho certeza de que será tudo diferente. Por isso eu postei tantas e tantas coisas, e claro, também deixei n registros no meu diário pessoal. Faço questão de ir registrando tudo, porquê ser mãe é realmente receber de Deus seu > presente. E eu só tenho que agradecê-lo por tudo que tem feito por mim, e pelo JL.
Com relaçção ao meu corpo, digo que meus pés ainda estão enchados, e que eu ando sentindo pouquícima fome.
(o porque disso não sei.)
E na terça-feira eu me senti mal abessa. Isso pode ter relação com o calor insuportável que anda fazendo por aqui.
Bom gente, assim que eu atualisar as fotos das coisas do JL e também da minha barriga, eu venho postar. Bju pra todo mundo!
***atualisação:
Barriga ficando dura, e mamãe está ficando preocuppada também. A go me mandou tomar buscopan diariamente, (e não pode ser o composto), de 8 em 8:00. Meu bebê não pode nascer antes da hora!!!! #Deus, me ajude, porfavor.