Google+ Badge

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

15ª semana de gestação.

oois gente! chegamos a 15ª semana de gestação, e eu resolvi atualisar. faltam apenas 2 dias pra ela terminar, mas vamos lá:

fim da lista

Como seu bebê está crescendo
Se pudesse pegar o bebê, ele caberia na palma da sua mão. Esta semana, o feto desenvolve sensibilidade à luz e começa a ter soluços, um movimento precursor
da respiração.

Não dá para ouvi-los porque o sistema respiratório do seu filho está cheio de líquido, em vez de ar, mas não se surpreenda se conseguir sentir os soluços
daqui a algum tempo.

Outra coisa que está se desenvolvendo é o paladar do seu filho. Existem até estudos que mostram que os sabores dos alimentos consumidos pelas mães grávidas
acabam indo parar no líquido amniótico.

Como fica sua vida
Um dos momentos mais emocionantes da gravidez é sentir o bebê mexer pela primeira vez. A maioria das mulheres percebe os primeiros movimentos entre a 16a
e a 20a semana. Esses movimentos iniciais podem até parecer gases, mas são, na verdade, as cambalhotas de seu filho. Não deixe de falar sobre isso na sua
próxima consulta.

Algumas mulheres só
sentem o bebê se mexer mais tarde,
só mesmo na 20a semana ou mais, ou com uma frequência menor, então não se preocupe se ainda não notou nada.

Nesta fase, é possível que seu médico sugira a realização de um exame de sangue para detectar problemas genéticos. O chamado teste de múltiplos marcadores
mede, entre outras coisas, os níveis da alfa-feto proteína e é feito entre a 15a e a 20a semana.

Embora seja realizado rotineiramente em alguns países, no Brasil esse teste não é muito frequente. Ele serve para definir a indicação para uma possível

amniocentese.

A amniocentese, um exame invasivo, só costuma ser recomendada para mulheres com mais de 35 anos ou para aquelas com histórico familiar de problemas congênitos.
Ela também é realizada entre a 15a e a 20a semana de gravidez. Peça a seu médico para explicar a você todas as implicações dos testes feitos para detectar
anormalidades cromossômicas.

Nenhum comentário: