Google+ Badge

terça-feira, 30 de junho de 2015

--Digo não às brigas.

Bom, as coisas por aqui graças a Deus estão correndo bem.... O pai do meu filho me ligou na semana passada, alegando que foi demitido do emprego em que estava a  1 ano e 4 meses. Quando ainda estávamos casados eu sempre dizia para que ele ficasse de olho no horário em que saía daqui, e quando ele parou de tomar banho e de fazer a barba, as coisas se complicaram.
Mas ele disse também que enquanto estiver recebendo o seguro desemprego vai pagar a penção, e agora eu terei que colocar o bebê na unimed do meu emprego.......
Quanto a isso não ah problema algum.
Eu lhe disse que se soubesse de alguma vaga, enviaria o cv dele.... de boa.... não desejo nada de mal a ele não ggente. só não o quero + como marido. não vou dizer que não fiquei chateada, porque fiquei.
não vou dizer que não tive raiva, porque tive.
não vou dizer que  não senti tristesa, porque senti.
+ eu estive horando, e pedindo a Deus pra que retirasse de mim todo esse sentimento negativo, que claro, afetaria somente a minha pessoa. ele não ia ser abalado com nenhuma das minhas "coisas".
então deixei pra lá sabe. e também tem a questão do meu filho.
se eu fico odiando o pai, altomaticamente eu vou transferindo isso a ele. e aí das duas uma.
ou ele toma as minhas dores, e o odeia também, ou ele se revolta contra mim. pois a imagem que ele terá do pai, não será esta que eu tenho. o pai dele pode ser um comigo, e outro com ele! então não compensa. se a gente tem que conviver pela criança---- que essa convivênsia seja saldável!
todas as mães solo como eu sabem que não é fácil. + o que não tem remédio, remediado está!
eu quero que ele seja feliz, quero que ele arrume um novo amor, que ele tenha comunhão com Deus e acima de tudo isso, quero que ele me deixe empaz. ele não tem me perturbado graças a deus.
+ isso não significa que eu acredito em papai noel ou em conto de fadas.
não, nada disso.
só que estamos nos respeitando. e cumprindo com o acordo que fizemos quando nosso casamento nalfragou no mar da vida.
eu não tenho 1 coração mole pra perdoar e fingir que nada aconteceu.
+ também não quero ter um coração tão duro a ponto de lhe desejar tudo em dobro.
quem tem que fazer a  justiça é deus, isso se ele achar que deve ser feita. eu tenho que ficar quieta na minha, e tudo o que eu puder passar de melhor pro meu filho, eu vou passar. mesmo que eu não seja assim...... mesmo que eu não tenha toda essa calma. nesse assunto eu vou ter que ter caltela. não quero machucá-lo com as minhas  próprias feridas..... quero que ele tire suas próprias conclusões.
hoje ele ligou de novo. fez a tão esperada serurgia que ele tinha que ter feito desde criança. pelomenos não corre + o risco de ter um câncer, como o médico disse que ele poderia vir a ter senão operasse.
fico feliz em saber que ele está bem.
+ é como eu já lhe disse, e repito.
conviveremos amigavelmente, em nome do bem estar emocional do joão lucas, e nada +.
por hoje é só. logo logo eu conto + algumas coisinhas que estão me fazendo pensar a respeito do desenvolvimento do meu pequeno.

Nenhum comentário: