Google+ Badge

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

-- outra matéria interessante para as mulheres ( feministas ou não.)


Qual é o melhor momento para ter relações sexuais para engravidar?
O ideal é ter relações sexuais o mais próximo possível do momento da ovulação, ou seja, quando o óvulo é liberado pelo ovário. Os espermatozoides conseguem
sobreviver dentro do corpo da mulher por alguns dias, mas o óvulo só dura entre 12 e 24 horas.
É difícil saber o momento exato da ovulação, por isso, para aumentar as chances de a
concepção
 acontecer, o melhor é fazer sexo um ou dois dias antes da
ovulação.
Assim, cresce a probabilidade de que haja espermatozoides saudáveis no seu corpo na hora em que o óvulo for liberado.
Saiba mais sobre
como monitorar sua fertilidade
Embora esse seja o ideal, não vale a pena restringir o sexo para apenas um ou dois dias antes da data prevista para a ovulação. Estudos já mostraram que
uma mulher pode ficar grávida se tiver relações sexuais vários dias antes da ovulação.
O momento exato da ovulação não é muito previsível. Ele pode variar de mês a mês, e depende da duração normal do seu ciclo menstrual e de outros fatores,
mesmo que você seja bem regular. Pesquisas recentes mostram que essa variação é ainda maior do que se imaginava.
Mudanças na rotina, viagens, estresse, qualquer coisa já basta para mexer na sua secreção vaginal e no ciclo menstrual.
Por isso, especialistas em fertilidade recomendam que o casal faça sexo a cada dois ou três dias durante o ciclo inteiro, em vez de concentrar os esforços
na época em que a ovulação deveria acontecer.
Como posso saber que estou ovulando?
Há mulheres que percebem claramente que estão ovulando, e sabem até se aquele mês é o ovário esquerdo ou o direito que está liberando o óvulo, porque sentem
um pouco de dor. Outras não sentem absolutamente nada.
Se você está tentando engravidar, tente ficar atenta aos sinais de que a ovulação se aproxima. Eles podem começar a aparecer cerca de três semanas antes
da data prevista para sua próxima menstruação, e são os seguintes:
lista de 3 itens
Aumento da secreção vaginal, que assume uma textura parecida com a de clara de ovo, mais transparente e viscosa, à medida que a ovulação se aproxima
Aumento do desejo sexual
Pontadas ou desconforto de um dos lados do baixo ventre, que podem piorar quando você se senta
fim da lista
Para descobrir a data aproximada de quando os sintomas podem começar a aparecer, use nossa
calculadora da ovulação.
Existem também nas farmácias testes parecidos com os de gravidez, feitos com a urina, que detectam a elevação do hormônio da ovulação (LH). Também há técnicas
de monitoramento da temperatura do corpo, antes de levantar da cama, de manhã -- a chamada temperatura basal --, para perceber o leve aumento que indica
que a ovulação está ocorrendo. O problema dessas técnicas é que elas deixam o casal muito ansioso, o que pode ser negativo para as tentativas.
Tenho ciclos menstruais muito irregulares. Vou ter dificuldade para engravidar?
Quanto mais irregulares forem seus ciclos menstruais, mais difícil será prever a ovulação. Se, no entanto, você seguir o conselho dos especialistas e mantiver
relações sexuais duas ou três vezes por semana, vai acabar acertando a data de uma maneira ou de outra.
Há mulheres, porém, que, além de ter ciclos irregulares, não ovulam com a frequência que deveriam, ou seja, em certos ciclos elas simplesmente não ovulam.
Se você achar que esse é o seu caso, converse com o ginecologista.
O que mais posso tentar para engravidar logo?
Para grande parte dos especialistas, manter uma vida sexual ativa, com relações de duas a três vezes por semana, é o meio mais eficaz de aumentar as chances
de engravidar. Vale a pena usar esse método por alguns meses antes de pensar em maneiras mais complexas de detectar a ovulação.
A orientação de Morag Martindale, consultora do BabyCenter britânico, é que você converse com o médico se não engravidar depois de seis meses de tentativas
intensivas (especialmente se você tiver
mais de 35 anos de idade).
Pode ser que o médico sugira que você acompanhe seu ciclo mais de perto por alguns meses para identificar quando e se você está ovulando. O ginecologista
também dará orientações sobre sua saúde em geral e sobre o que fazer para elevar a chance de engravidar.

Primeiro alguns dados
Como é um ciclo menstrual normal?
Como os hormônios funcionam
Ovulação: o óvulo é liberado
Depois da ovulação
Quando há fertilização...
Quando não há fertilização...
fim da lista
Primeiro alguns dados
Toda menina nasce com até 450 mil óvulos armazenados nos ovários. Na época da primeira menstruação, geralmente entre os 10 e os 14 anos, esses óvulos começam
a amadurecer e a ser liberados, um a um, mensalmente. O óvulo é liberado do ovário e cai em estruturas parecidas com franjas na extremidade da tuba uterina
(ou trompa de Falópio), que o vão transportando, devagar, com um movimento ondulatório, até o útero. Se no meio do caminho o óvulo for fertilizado por
um espermatozóide, ele vai se alojar quando chegar ao útero e se multiplicar até se transformar no bebê e na placenta. Se a fertilização não acontecer,
o óvulo será eliminado, junto com o revestimento interno do útero -- o que compõe sua menstruação.
Como é um ciclo menstrual normal?
Um ciclo menstrual normal costuma durar 28 dias, contando desde o primeiro dia da menstruação até o início da menstruação seguinte. Há mulheres que têm
ciclos bem mais curtos, com até 23 dias, e outras possuem ciclos mais compridos, de até 35 dias. Ciclos mais curtos ou mais longos que isso têm mais probabilidade
de ser anormais, por isso é aconselhável conversar com o ginecologista. Também é preciso ser avaliada pelo médico se você tiver sangramentos no meio do
ciclo ou depois de ter relações sexuais.
Como os hormônios funcionam
Seu ciclo menstrual é controlado por uma série de hormônios produzidos por partes diferentes do corpo:
• Hormônio liberador de gonadotropina (produzido pelo hipotálamo, que fica no cérebro)
• Hormônio folículo-estimulante (produzido pela hipófise, uma glândula que também fica no cérebro)
• Hormônio luteinizante (também produzido pela hipófise)
• Estrogênio (produzido pelos ovários)
• Progesterona (também produzida pelos ovários)
O processo começa no cérebro. O hipotálamo produz o hormônio liberador da gonadotropina (GnRh), que vai até a hipófise e determina a produção ali do hormônio
folículo-estimulante (FSH). O FSH entra na corrente sanguínea e chega até os ovários, estimulando o amadurecimento dos óvulos. Entre 15 e 20 "sacos", chamados
folículos, contendo óvulos começam a amadurecer. Um deles (às vezes dois ou mais) se desenvolve mais rápido que os outros: é o folículo dominante.
O FSH também estimula os ovários a produzir estrogênio. Esse hormônio incentiva os óvulos a amadurecer e determina que o revestimento interno do útero
fique mais espesso, para que possa abrigar um eventual óvulo fertilizado.
Ovulação: o óvulo é liberado
À medida que os níveis de estrogênio no sangue aumentam, os níveis de FSH diminuem temporariamente, para depois crescerem de novo. Esse novo aumento é acompanhado
pela forte secreção pela hipófise do hormônio luteinizante (LH). É o LH que deflagra a ovulação -- o momento em que o óvulo mais maduro rompe o folículo
e sai do ovário. Logo que é liberado, o óvulo é capturado pela extremidade da tuba uterina (ou trompa de Falópio).
O colo do útero, o "gargalo" que une o útero à vagina, normalmente produz um muco opaco e espesso, que os espermatozóides não conseguem penetrar. Pouco
antes da ovulação, no entanto, o estrogênio faz com que essa secreção mude de aspecto: ela fica mais fina, transparente e viscosa, parecida com clara de
ovo. Através dela os espermatozóides conseguem passar pelo colo do útero e nadar até as tubas uterinas, para então encontrar o óvulo. É na tuba (ou trompa)
que a fertilização costuma acontecer.
Depois da ovulação
Dentro do ovário, o folículo vazio de onde o óvulo saiu se transforma no corpo lúteo. Trata-se de um pequeno aglomerado de células amarelado, que começa
a produzir a progesterona. A ação da progesterona faz com que o muco que reveste o colo do útero e a vagina volte a ficar opaco e impenetrável aos espermatozóides.
Também estimula o revestimento interno do útero, que fica mais espesso e de aspecto esponjoso, devido ao forte afluxo de sangue. É o endométrio, que está
pronto para receber o zigoto (óvulo fertilizado por um espermatozóide).
Conforme a concentração de progesterona no corpo aumenta, os seios ficam mais volumosos e sensíveis. A hipófise pára de produzir o FSH, para que nenhum
outro óvulo amadureça.
Quando há fertilização...
Quando um espermatozóide fertiliza o óvulo dentro da tuba uterina, o óvulo continua descendo até chegar ao útero, onde se aninha no endométrio, o revestimento
interno do útero. A essa altura, o zigoto já possui cerca de 150 células. A viagem desde o ovário até o útero leva cerca de cinco dias. Os níveis de progesterona
continuam altos, o corpo lúteo continua trabalhando e pode se transformar num cisto temporário, e é possível que você comece a sentir os
primeiros sintomas da gravidez.
Quando não há fertilização...
Se o óvulo não for fertilizado ou se, mesmo fertilizado, não conseguir se implantar no endométrio, ele começa a se desintegrar, e o corpo lúteo diminui.
Os níveis de estrogênio e de progesterona caem, e o revestimento interno do útero começa a produzir prostaglandina. Essa substância modifica a irrigação
sanguínea do útero, fazendo com que o endométrio se rompa e que o útero comece a se contrair para expulsá-lo (daí a cólica menstrual). A menstruação desce,
e o óvulo não-fertilizado é eliminado junto com o revestimento uterino. Com isso, o ciclo recomeça.
DO NOSSO PATROCINADOR

Há posições sexuais mais eficientes que outras para engravidar?
Infelizmente não há comprovação científica de que uma posição sexual é melhor do que a outra para tentar ter um bebê. Você pode até ter ouvido falar que
posições em que os espermatozoides são depositados mais perto do colo do útero, como a tradicional papai-e-mamãe (com o homem por cima), seriam mais indicadas.
Não há, contudo, pesquisas que mostrem isso.
Por outro lado, a época em que se transa é um fator crucial. Para aumentar suas chances de
concepção
 você precisa manter relações sexuais um ou dois antes antes da data em que espera
ovular,
assim como no próprio dia da ovulação.
O orgasmo é imprescindível para que a mulher engravide?
Para o homem, o orgasmo é praticamente imprescindível, já que é preciso haver alguma ejaculação. Mas a concepção pode acontecer antes mesmo do orgasmo masculino,
porque pequenas saídas de sêmen muitas vezes ocorrem antes da ejaculação de fato acontecer.
No caso do orgasmo feminino, ele está totalmente relacionado a prazer e satisfação, porque não faz com que os espermatozoides cheguem ao útero e às tuba
uterinas. Suaves contrações no útero dão uma mãozinha a eles, mas isso acontece mesmo sem que você tenha um orgasmo.
É preciso ter em mente que o orgasmo não é de maneira nenhuma imprescindível para que a mulher engravide.
Existem posições mais favoráveis para fazer menino ou menina?
Não existe nada cientificamente confirmado, apenas
lendas e folclore.
Segundo uma dessas simpatias, se a mulher estiver por cima, engravidará de uma menina.
Você pode até tentar, mas pergunte a algumas amigas (bem íntimas) que tenham filhos e você vai ver como a regra não é garantia nenhuma!
Devo ficar deitada depois do sexo para ajudar na concepção?
Certos especialistas defendem que é positivo ficar alguns minutos, sem se levantar, depois da relação sexual, para aumentar as chances de engravidar. Eles
recomendam que a
mulher fique deitada,
porque, em tese, isso ajudaria os espermatozoides a subir útero acima em direção às trompas, já que eles não teriam que lutar contra a gravidade.
Estudos recentes, porém, mostram que os espermatozoides saudáveis levam menos de dois minutos para alcançar as trompas.
Há mulheres que têm propensão a
infecções urinárias
 e são orientadas a
fazer xixi logo depois da relação sexual.
Se esse for o seu caso, é melhor continuar seguindo a recomendação médica.
Outro truque que algumas mulheres arriscam é deixar as pernas para cima, em posição de "vela", com o quadril elevado, apoiado pelas mãos, alguns minutos
depois do sexo. Se você for atlética, não custa tentar -- mas não vá despencar da cama!

http://brasil.babycenter.com/

4 comentários:

Anônimo disse...

Interessante!!! eu já ouvi várias lendas, e não sei em qual acreditar. Como o corpo é imprevisível melhor que esses fatores que vejam...
aliás maninha tou com umas coisinhas pra falar com você mais fica para o particular. beijão.

dorinnha radashy disse...

aaaa é? então quando vc quiser....... pode falar!

estrelinha disse...

bom, disse mais ou menos por dm, vc sabe... se eu conseguir tempo vou fazer uma matéria sobre isso.
mais acho que essa semana vai me expremer a roberta disse que vai na segunda ser matéria mesmo trabalho mesmo... será que sobrevivo na primeira semana?
e eu que vou ver milhares de coisas sobre esse assunto afinal jornalista ta ligado a todos assuntos de todas espécies, vc sabe.

Miriam disse...

Oi Dorinha!
Obrigada pela visita lá no blog ;D

Eu adoro essa área da Medicina! É muito interessante! Todas as mulheres precisam consultar uma Ginecologista com frequência, é muito importante! ;)

Estou fazendo o 1º Sorteio do Blog Makes da Mi lá no blog. Ficarei muito feliz se você participar ;)


Bjxx
Makes da Mi
Facebook