Google+ Badge

quarta-feira, 4 de março de 2015

--dividindo a cama com o meu príncipe.... recomendado ou não?

Tem problema levar o bebê para dormir na cama dos pais?
Escrito para o BabyCenter Brasil
Compartilhar Facebook Twitter

 Google+
Resposta
A equipe do BabyCenter
Formada por jornalistas especializados em saúde
Dormir junto com os pais é uma prática antiquíssima, que certamente facilita a vida na hora da amamentação, por exemplo, mas que também recebe críticas. Entidades dedicadas ao estudo da morte súbita do lactente a desaconselham, assim como a Academia Norte-Americana de Pediatria (AAP), citando riscos como o de sufocamento.

Os médicos não recomendam dividir a cama com o bebê se você ou seu parceiro forem fumantes (mesmo que não fumem no quarto), obesos ou se usarem remédios para dormir ou substâncias como álcool e drogas, que possam provocar um sono muito pesado.

A solução de dormir todo mundo na mesma cama, porém, funciona para muitas famílias. Por isso, se você decidir tentar, saiba quais cuidados terá de tomar:
Nunca deixe o bebê sozinho na cama. Como você não vai ficar na cama o tempo todo, mantenha um berço ou algum lugar seguro para deixar o bebê dormindo enquanto você não se deita à noite ou para sonecas diurnas.
Sempre coloque o bebê para dormir de barriga para cima.
Não use pijamas e camisolas com cordões ou fitas, nem use jóias ou bijuterias na cama.
Não deixe crianças mais velhas dormirem na mesma cama com um bebê de menos de 1 ano. A criança mais velha pode machucar o bebê durante o sono.
Não deixe que animais domésticos frequentem a cama.
Use um colchão firme e plano.
Se sua cama for muito alta, pense duas vezes antes de tentar a opção. Uma alternativa temporária, se não tiver outro jeito, é colocar o colchão no chão.
Verifique o entorno da cama para ver se não há vãos em que a criança possa ficar presa (como entre o colchão e a cabeceira, ou entre a cama e a parede). Se houver vãos, preencha-os com toalhas enroladas.
Cuidado também com objetos que a criança possa alcançar a partir da cama, como produtos de beleza em cima da cômoda, abajures ou cordas de persiana.
Não deixe o bebê ficar com o rosto enfiado em travesseiros, edredons e cobertores. Prenda bem o lençol de baixo para que ele fique firme.
Não exagere nos agasalhos da criança. Lembre-se de que a cama vai estar mais quente do que se o bebê estivesse dormindo sozinho.

Outros pontos a considerar antes de decidir se ter o bebê na sua cama é a opção certa para toda a família :

Criação de vínculos
Com a vida atribulada de hoje, passar horas bem juntinho na cama pode ser uma maneira de se conectar mais ao bebê, depois de um longo dia de separação. Em muitos casos, os pais sentem que é uma forma especial de se aproximarem dos filhos, já que eles não têm a mesma ligação física que as mães que amamentam o bebê.

Mamadas noturnas
Algumas mães gostam dos filhos na própria cama por ser mais prático dar o peito ou a mamadeira para o bebê quando ele já está tão perto. Outras, porém, observam que a proximidade faz com que a criança acabe acordando com mais frequência para mamar.

Tenha em mente também que poderá ser mais difícil dar um fim às mamadas noturnas do seu filho se ele estiver na sua cama. No caso de bebês amamentados no peito, pode ser ainda mais complicado, porque eles sentem o cheiro do leite da mãe, e muitos acabam desenvolvendo o hábito de acordar toda hora durante a noite para mamar, mesmo após já terem perdido a necessidade física de fazer isso.

Relacionamento do casal
Para alguns casais, a presença do bebê na cama torna mais difícil encontrar tempo para momentos de intimidade e sexo. Outros, porém, acreditam que isso os força a ser mais criativos na busca de soluções para ficarem sós.

Se o seu filho dormir na sua cama, é bem provável que você precise planejar a hora de estar a sós com seu parceiro, em vez de esperar que ela aconteça espontaneamente. Dependendo da forma como você esteja se sentindo, isso pode ser um peso ou uma diversão.

De qualquer maneira, a decisão de levar o bebê para dormir na cama dos pais precisa ser conjunta do casal, para que não haja risco de afetar a relação de vocês dois.

Nenhum comentário: